domingo, 27 de novembro de 2011

RESENHA DO FILME “CONVERSANDO COM DEUS”

Clara Emilie Boeckmann Vieira – Outubro, 2011

O filme Conversando com Deus é baseado em fatos reais da vida do escritor bestselle Neale Donald Walsch, que vendeu mais de xxx milhões de exemplares. O filme é lendo mas a história de vida do escritor é surpreendente.
Depois de um acidente, Neale fica desempregado e não consegue realocação em nenhum lugar, apesar de ser bem qualificado. Depois de muitas tentativas perdidas, sem dinheiro para bancar suas despesas, acaba se transformando em um mendigo, passando fome e frio, e inúmeras situações constrangedoras. Após muito sofrimento, consegue um emprego numa radio, faz boas amizades, mas acaba sem emprego novamente, com a falência da rádio. Um dia, em depressão em casa, começa a ouvir vozes, que lhe passam mensagens espirituais, que acabam compondo os seus livros de grande sucesso.
Ao longo do filme, podem ser observadas várias cenas relacionadas a coaching informal, e também faz refletir no aspecto espiritual da proposta do Coaching evolutivo. Algumas cenas são apelativas e desconexas, mas as lições positivas relacibnadas ao Coaching podem ser extraídas, como a relação de amizade com o mendigo Pit, que mesmo sendo alcoólatra pode ajudar Neale, o apoio da amiga que digitou os manuscritos, a atuação do Editor na venda do livro para outra grande editora.
A reciclagem íntima do escritor é visível, que se transforma de uma pessoa sem bases morais firmes para um homem espiritualizado, que no final aceita seu passado e segue adiante, com seus livros que servem até hoje de conforto espiritual para milhões de pessoas. Apesar do viés consolador e religioso da abordagem espiritual, é melhor que o vazio materialista.

6 comentários:

Daniela Guedes disse...

Eu realmente amei esse filme,pois nos ensina que a melhor resposta,e as soluções para os nossos problemas só poderemos obter ,conversando com Deus.

Anônimo disse...

Filme muito bom e surpreendente. Nos faz refletir sobre nosso outro "eu". Recomendo.

juliano cesar de oliveira disse...

Oi adorei sua resenha, simplesmente fantástica....mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...a capa do livro é linda ela traz o universo de fundo..abraços.

Anônimo disse...

ôlá pessoal! Concordo com o Amigo Juliano, quando comenta o reverso que vem mostrar fatores que eu memo também não despreso, pois seja qual for e do tipo que for a informação do infinito ponto de vista ao entorno da vida como um meio de tudo, ~sempre nos levará a mais e mais conhecimento. E digo que ainda que o próprio homem (ser humano) seja quem for, tente fixar um certo e/ou determinado padrão de vida a se seguir como uma definida filosofia ou como achar molhor dizer, deveria se auto analizar e tentar se enchergar como um ponto, peça ou pedaço de uma inesplicavel arquitetura criacional... Então digo com minhas palavras que não se pode definir uma exata regra comportamental para se chegar ao aumejado conforto da paz espiritual o Deus criador em seu Divino reino após o termino desta vida. Mas sim buscar cada vêz mais pelo conhecimento, e esse mesmo conhecimento deve sempre estar somado a sabedoria para se obter as respostas plenamente satisfatórias em sua escência complétamente pura e limpa de tudo o que possa ser minimamente relacionado ao negativismo da vida em sí... Resumindo: devemos sempre ao longo trageto da vida ser serenos, respeitosos, observadores, analiticos, etc... Mas já mais jugadores, pois lembrando que tudo é conhecimento, ainda que seja contrário pode vir a se tornar a favor e positivo se buscarmos entender a infinita e inesplicavel escência do AMOR. Portanto em meio as infinitas descobertas e revelações, sempre haveram infinitos, como foi, quando foi, quêm foi, porque foi, para onde foi, será que foi, mas e se não foi assim, ainda que tivesse acontecido, pode ter cido...! Digo que a Verdade nem eu sei nem o próprio escritor sabe nem ninguêm deve saber, pois mal podemos prever o momento seguinte. Mas tenho em meu interior psiquico e emocional que a busca com sabedoria pelo conhecimento com fins de almejar esta escência não deve fazer mau. Então o fato de crer no Divino Amor que gerou a existência do tudo, des de o misterioso e desconhecido inicio, ao desconhecio e misterioso infinito sempre leva a um mesmo ponto de partida. DEUS, criador do misterioso e infinito tudo. (Well)

tiago rezende de paula disse...

Uma coisa q me chamou atencao foi... Em determinada conversa com "Deus" , Deus lhe fala, nao me trate como superiro pq eu nao sou, eu estou a sua altura somos iguais...
No final do filme vemos que ele encontra ele mesmo, e vai caminhando ao seu lado dizendo para nao desanimar que estara sempre do seu lado...
Ou seja... Deus esta dentro de nós, somos nós mesmos o nosso Deus... Por isso estamos na mesma altura no mesmo plano... Por isso ele diz eu desejo a vc oq vc deseja pra vc... Eu nao quero nada alem do que vc quer... Entao quando nos encontrarmos com nos mesmos, encontrarmos o nosso Deus o nosso eu... Entao td ficara mais claro.

Erinaldo Oliveira disse...

muito bom

Postar um comentário